Logo Web Radio Água

Você está aqui:Início/CONTEÚDOS/MUNDO ÁGUA/Boas Práticas/Projeto prevê recuperação de 18 nascentes na região do Pantanal
Qui, 24 de Setembro de 2015 11:06

Projeto prevê recuperação de 18 nascentes na região do Pantanal

Escrito por  João Mota
As águas que nascem no planalto da Bacia do Alto Parguai, como nessa região de Tangará da Serra e Reserva do Cabaçal (MT) são fundamentais para o abastecimento do Pantanal Foto:  WWF-Brasil / Luiz Fernandes As águas que nascem no planalto da Bacia do Alto Parguai, como nessa região de Tangará da Serra e Reserva do Cabaçal (MT) são fundamentais para o abastecimento do Pantanal Foto: WWF-Brasil / Luiz Fernandes Foto: WWF-Brasil / Luiz Fernandes

Até o fim de 2016, 18 nascentes do município de Mirassol D'Oeste, no Mato Grosso, serão revitalizadas por meio de uma parceria entre a organização não-governamental WWF-Brasil, Agência Nacional de Águas (ANA), Consórcio Nascentes do Pantanal e representantes do setor público, privado e sociedade civil organizada pela defesa dos rios da região.

A ação deve trazer grandes resultados para a população e o meio ambiente, uma vez que todos os mananciais desembocam nos rios Caeté e Carnaíba, responsáveis pelo abastecimento hídrico da cidade.

Na primeira fase da ação, 30 propriedades onde estão localizadas as nascentes foram catalogadas e mapeada, com a identificação de 18 nascentes em situação crítica e mais de 35 mil hectares de áreas degradadas. Glauco Kimura de Freitas, especialista em recursos hídricos da ONG WWF-Brasil, fala sobre a interação entre os moradores e a iniciativa:

“A sociedade respondeu muito bem ao projeto. Tivemos muito apoio, apesar de que ainda é um pouco cedo para mensurarmos isso e entregarmos resultados. Terminamos agora a primeira fase do projeto, que é a parte de mapeamento da região e identificação das áreas de recuperação das nascentes. A partir desse momento iremos começar a implantar as ações de recuperação. Isso irá envolver bastante a sociedade local, escolas, ONGs locais e associações de produtores. Isso certamente vai criar uma ressonância na região e todo mundo vai ficar sabendo do projeto. Com certeza teremos um maior apoio da sociedade naquela região.” 

O especialista afirma ainda que a cidade vizinha, Tangará da Serra (que no passado enfrentou problemas com falta de água devido à poluição do rio Sepotuba), também receberá recursos para a recuperação de suas fontes hídricas.

“Nós estamos trabalhando com 25 municípios das cabeceiras do Pantanal e destaca-se Mirassol D'Oeste por ter conseguido (a adesão ao) Programa Produtor de água da ANA, mas também destaca-se o município de Tangará da Serra, que é um município vizinho, mais ao norte da bacia, que também iniciou um projeto de restauração de nascente e conseguiu o apoio da ANA no programa Produtor de Água. Agora estão finalizando o mapeamento das nascentes do córrego Queima-Pé, que é um córrego muito importante para o abastecimento da cidade. E vão começar também as atividades de recuperação, tendo iniciado algumas curvas de nível, algumas intervenções nas fazendas, e os produtores ficaram muitos entusiasmados com esse projeto lá em Tangará da Serra.”

Ao longo das ações, estima-se que 700 quilômetros de rios e pelo menos 30 nascentes sejam recuperadas nas áreas do rio Paraguai e seus afluentes, como Sepotuba, Cabaçal e Jauru. Estes são alguns dos principais rios que compõem o Pantanal, a maior área úmida do planeta.

Escrito por João Mota com supervisão de Vacy Álvaro.

Última modificação feita em Sex, 27 de Novembro de 2015 13:56
Avalie este artigo
(0 votos)

Redes Sociais

  • Facebook: webradioagua
  • Linked In: webradioagua
  • Orkut: 15823632741848208134
  • Twitter: webradioagua
  • YouTube: webradioagua

Centro Internacional de Hidroinformática | Parque Tecnológico Itaipu
Av. Presidente Tancredo Neves, 6731 | CEP 85.867-900
Foz do Iguaçu | Paraná | Brasil
+55 45 3576-7038

 

2020 • Todos os Direitos Reservados