Logo Web Radio Água

Você está aqui:Início/Blog/Latinoware 2011
Latinoware 2011

Latinoware 2011

Latinoware é um evento que abre espaço para discussões e reflexões sobre a utilização do Software Livre na América Latina, além de promover a integração e a valorização latino-americana.

WebSite: http://www.latinoware.org/

O cenário do futuro do software público foi amplamente debatido na manhã do segundo dia da Latinoware 2010. Representando o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e a Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação, Corinto Maffe, garantiu a preocupação do governo em oferecer softwares gratuitos como um direito da sociedade.

 

A ideia é promover o software como um serviço de governo eletrônico, um direito da sociedade e um modelo de produção para a economia e dos bens intangíveis. Ou seja, o Estado deve criar ferramentas, baseado em leis, decretos e contratos de licenças, oferecendo programas de software público para melhorar a vida das pessoas, mas para isso, é preciso mudar a forma de se fazer negócios.

 

Corinto explica, ainda, que o software é uma ferramenta poderosa de geração de emprego e renda, um bem público em larga escala e, o melhor de tudo isso, não é um bem escasso. Uma vez que o software livre entra no software público, ele passa a ser um bem da sociedade e ela tem direito de usar pelas características do modelo de gestão desenvolvido. Tudo isso é uma regra para garantir benefícios à sociedade.

 

 

Pensar em sistema operacional que acompanhe a evolução mobile web é um dos desafios dos programadores. Bruno Fernandes apresentou novidades na área durante a palestra “Desenvolvimento Mobile Web e Software livre”, ministrada hoje no espaço Chile, da Latinoware 2010.

Segundo Fernades quando se fala em desenvolvimento mobile não significa mágica, destacando que o desenvolvimento de mobile é um mercado consolidado, porém limitado por aspectos como plataforma, briga de patentes, plataformas proprietárias e dependência de plataforma.

 

De acordo com o programador, o desenvolvimento mobile web é um mercado em ascensão e ilimitado. As ferramentas não tem fim e as pessoas sempre consomem serviços na web .

 

Entre as novidades apresentadas por Fernandes, estão o site (html5test.com) para testar o quanto sua internet tem de html5; o CSS3 Media Queries, para mobiles; e o sit e (validator.w3.org/mobile), que testa o quanto seu site ou aplicativo é mobile.

 

Para o programador, hoje são feitos grandes investimentos na área e programas não podem correr o risco de ficar obsoletos, temos que pensar em programar códigos para rodar em tudo e que possam ser alterados.

 

 

A palestra “Python Ágil” movimentou o Espaço Uruguai na manhã do primeiro dia da Latinoware 2010. O programador Ramiro Batista da Luz conversou com o público presente e apresentou um estudo de como essa linguagem de programação pode facilitar a vida dos programadores.

 

Como a vida de um programador é ler códigos, para Ramiro, o quanto mais fácil for o entendimento, mais rápido será para resolver algum eventual problema. O Pyton é mais ágil pois facilita a leitura desses códigos. Entre os participantes da palestra, apenas três profissionais utilizam constantemente a ferramenta.

 

Ramiro demonstrou, passo a passo, como trabalhar com essa linguagem e explicou os aplicativos utilizáveis pelo Python para a programação como o eXtreme Go Horse, TDD – Test Driven Development, BDD – Behavior Driven Development e Design Pattern. Estes são aplicativos fáceis de se utilizar e que permitem testar, sem medo de perder ou modificar o que já foi programado. E, se falando em programação, é preciso trabalhar em equipe e, para isso, algumas ferramentas como o PyUnit e DocTest são importantes para que um projeto se concretize.

 

O Python é uma linguagem de programação dinâmica de altíssimo nível, utilizada em larga escala por empresas como Google, Dreamworks e Industrial Light & Magic. No Brasil, é utilizada pela Locaweb, Globo.com, SERPRO, Interlegis (órgão vinculado ao Senado Federal), entre outros. Diversos softwares como GIMP (guimp), Inkscape e Blender3D utilizam a linguagem Python para extensões e criação de plugins.

 

Cooperativa é a forma que mais se aproxima da filosofia do Software Livre. Foi com este foco que o argentino Diego Martín Lima apresentou sua forma de atuação em cooperação na palestra: Elvex- Cooperativismo e Software Livre na Argentina, um modelo para a América Latina.

 

De acordo com Lima, o fato de a cooperativa utilizar a inteligência coletiva diminui as possibilidades de erro, pois todos os sócios possuem múltiplas funções.

 

Para a divisão do trabalho, os colaboradores seguem etapas distintas. Uma reunião define as prioridades. A primeira delas é saber se a proposta do projeto é 100% em Software Livre. Se a resposta for afirmativa os colaboradores são questionados sobre o interesse em participar do projeto.

 

Segundo Lima, a cooperativa é mais rentável que empresas particulares. Criado há dois anos o crescimento é considerável.

 

Pensando em funções e não em pessoas, é o que diferencia os trabalhos, na Elvex as atividades que não são do interesse dos colaboradores são terceirizadas, tornando os trabalhos descentralizados, e cada um trabalhando no que realmente gosta.

 

Para Lima, empresas de software proprietário dizem que é crime compartilhar. Usando a filosofia do Software livre as diferenças são eliminadas e através disto, criam irmandades.

 

 

A Itaipu Binacional, maior hidrelétrica do mundo em produção de energia, também está se tornando uma das maiores no uso de programas gratuitos. A ideia do Projeto de Software Livre da empresa, coordenado pela Superintendência de Informática, é limitar o uso de programas proprietários apenas para atividades técnicas e que necessitam de um programa específico.


Durante a palestra “Comendo pelas beiradas – Software Livre nas corporações, o caso da Itaipu”, ministrada por Marcos Siríaco (foto) e Marcos Dellazari, ambos da Superintendência de Informática, foi apresentado ao público presente no Espaço Peru, da Latinoware 2010, como o projeto vem se desenvolvendo dentro na Usina.


Segundo Dellázari, em 2000 a Itaipu tinha 35 servidores Windows, e um da IBM. Hoje são 45 servidores Windows, 40 AIX, da IBM, e 63 servidores Linux. A intenção é abandonar, de forma transparente, gradativa e sem causar impactos, os programas proprietários e com licenças de uso.


Já o coordenador do Projeto de Software Livre, Marcos Siríaco, uma das vantagens em se utilizar programas gratuitos é a independência tecnológica e a economia gerada ao deixar de pagar licenças para uso de softwares proprietários. Dentre os softwares livres utilizados pela Itaipu Binacional e, também, pelo Parque Tecnológico Itaipu, estão: 7(seven)-Zip, PDFCreator, GanttProject( Guenteproject), OpenClipArt, OpenOffice e Firefox.


Do lado paraguaio da Itaipu Binacional um projeto social é desenvolvido a partir do uso de software livres. A ideia consiste em utilizar programas gratuitos e reverter o dinheiro economizado para projetos sociais.


Segundo Juan Paredes, da Superintendência de Informática da Itaipu Binacional do Paraguai, o projeto “Incremento del uso de Software Livre – Soy libre, soy solidario” teve início há quase dois meses e já conta com 238 usuários. Com a estimulação dos colaboradores a utilizar o OpenOffice, as entidades sociais e educacionais do Paraguay serão beneficiadas. A primeira entidade será contemplada ainda este ano, informou Paredes.

 

 

A programação do primeiro dia do Latinoware 2010 não poderia ter começado melhor. Abrindo as atividades no Espaço Peru, Tomaz Canabrava, apresentou a palestra “Programando de Forma Eficiente: 2 jogos em 40 minutos” para um público de quase 200 pessoas entre profissionais e estudantes.


Utilizando os softwares livres de programação 'QT' e 'KDE', Canabrava desenvolveu o jogo 'Pong' e desmistificou aquela história de que programar jogos é algo complicado. “As pessoas acham que programar jogos é uma coisa muito difícil. Mas eu mostrei que não é e fiz um jogo em apenas 15 minutos”, explicou.


O jogo apresentado por ele é simples e serve para ser utilizando em qualquer plataforma, seja em desktop ou celular. “Mostrei isso em minha palestra, pois a maioria das pessoas não têm conhecimento de formas simples de programação. Essa demonstração serviu para expandir o conhecimento daqueles que desejam atuar nesta área”, completou.


Canabrava é programador da KDB, empresa da Suécia, com sede em São Paulo, e se considera um cigano por estar sempre em constantes mudanças e trabalhando onde quer que esteja. “Sou hiperativo. Eu fico de saco cheio de saber as coisas que eu sei e daí sempre vou atrás de novidades. Uma hora estou trabalhando como programador, daí me canso e vou pro teatro, depois pro circo, faço sapateado, daí volto pra programação. Assim sou eu”. E o cigano parece mesmo muito a vontade com a vida que leva, tão a vontade que apresentou a palestra descalço, deixando a sandália ao lado do palco.

 

Qua, 10 de Novembro de 2010 09:08

Latinoware 2010 começa nesta quarta-feira

Começa nesta quarta-feira, no Parque Tecnológico Itaipu (PTI), a sétima edição da Conferência Latino-Americana de Software Livre – Latinoware 2010. Cerca de 3 mil pessoas estarão reunidos até sexta-feira (11) para discutir as principais novidades do mundo da tecnologia, em especial do software livre.

 

Durante os três dias de evento, serão mais 150 palestras e 20 minicursos sobre temas ligados às tecnologias da informação e da comunicação baseadas nos mais diversos sitemas de código aberto. A Latinoware é promovida pela Itaipu Binacional, pelo Parque Tecnológico Itaipu, pela Companhia de Informática do Paraná , a Celepar e pelo Serviço Federal de Processamento de Dados, a Serpro.

 

Este ano, o evento contará com uma programação bem variada, que atende desde usuários iniciantes até programadores. Para aqueles que estão iniciando no mundo do software livre, a Latinoware oferece, o minicurso Linux de A a Z, que vai capacitar os participantes desde a instalação de um sistema Linux até o uso de seus principais aplicativos de escritório, gráficos e multimídia. A programação da Latinoware também conta com uma série de palestras na área de multimídia, que abordam a produção de áudio, vídeo e modelagem 3D, e o desenvolvimento de aplicativos para celulares e outros dispositivos móveis.

 

A Conferência também segue com o seu foco de promover a integração tecnológica entre os países da América Latina, apresentando casos de sucesso que possam ser replicados em diferentes países.

 

A experiência da Itaipu Binacional na adesão do software livre também será apresentada na Latinoware 2010. A palestra vai abordar aspectos sobre o começo do processo de migração e, principalmente, como a Itaipu vem incrementando o uso do software livre nas diversas áreas da empresa.

 

Na Latinoware 2010, o software livre também irá apresentar solução de problemas sociais. Por sua característica de promover o compartilhamento e reduzir custos com o pagamento de licenças, o software livre tem sido utilizado no desenvolvimento de tecnologias voltadas à acessibilidade e à saúde, por exemplo.

<< Início < Anterior 1 2 Próximo > Fim >>
Página 2 de 2

Redes Sociais

  • Facebook: webradioagua
  • Linked In: webradioagua
  • Orkut: 15823632741848208134
  • Twitter: webradioagua
  • YouTube: webradioagua

Centro Internacional de Hidroinformática | Parque Tecnológico Itaipu
Av. Presidente Tancredo Neves, 6731 | CEP 85.867-900
Foz do Iguaçu | Paraná | Brasil
+55 45 3576-7038

 

2020 • Todos os Direitos Reservados