Logo Web Radio Água

Você está aqui:Início/Blog/ECOEDUCAR - Edson Gavazzoni
ECOEDUCAR - Edson Gavazzoni

ECOEDUCAR - Edson Gavazzoni

Professor da SEED/PR, habilitação em História, Filosofia, Sociologia e Psicologia Educacional (UNIOESTE), Especialista em DM (UNIOESTE) e Educação Ambiental (ITAIPU/FAG), Pós em Adm. e Planejamento Educacional (UNIPAR), Designer Instrucional (UAB/UNIFEI) e Mídias Integradas na Educação (UAB/UFPR). PDE em História (UNIOESTE)
Pesquisador em Educomunicação e Educação Ambiental

WebSite: http://www.ecoeducar.com.br/

Ter, 27 de Agosto de 2013 18:51

PROGRAMA MINHA VIDA, MINHAS HISTÓRIAS

HISTÓRIAS QUE EMOCIONAM...

A partir das produções dos relatos pessoais, trabalho proposto pela professor Eliana Cardoso aos seus alunos, foram selecionados 20 textos, os quais estão sendo gravados para transformarem-se em documentários para a Web Rádio Gira Mundo. A maioria já foi gravado e estão em fase de edição, mas postamos a história de Rafael...

Vida e obra de Rafael

Em 26 de agosto de 1996 nasceu Rafael, não sei quanto aquele garoto pesava mas devia ter sido bem magrinho, mas isso não vem ao caso. O que importa é que rege a lenda que o garoto nasceu sorrindo sabe por quê? Porque ele é muito feliz extremamente feliz, mas me deixe explicar o porque que estou relatando sobre o nascimento desse rapaz.

Tudo começou no começo do ano de 1995, algum tempo antes de Rafael nascer, aconteceu que Ercilho Edemar Ferreira e Elenice de Oliveira Pereira tiveram uma linda menina Stefani De Oliveira Pereira uma criança que nasceu com diabetes muito rara na época, seus pais fizeram de tudo para a garota sobreviver mas não adiantou, a criança morreu meses depois de seu nascimento, uma perca muito grande para toda família, mas em especial para uma pessoa dona Elenice, sofreu muito, entrou em depressão, parecia que aquela mulher ia ficar de luto eterno.

Mas penso eu que por uma providência divina ela concebeu um garoto, em 26 de agosto de 1996 nasceu Rafael, aquele garoto conseguiu suprir toda carência e toda a tristeza de Elenice, é um novo recomeço agora ela tinha uma razão pra viver é essa razão tinha nome: Rafael de Oliveira Pereira.

Autor: Rafael de Oliveira Pereira
Tema: Relato Pessoal
Locução: Rafael de Oliveira Pereira
Edição: Projeto Gira Mundo

CONFERÊNCIA INFANTO JUVENIL NO COLÉGIO CARMELO

A IV Conferência Nacional Infanto Juvenil pelo Meio Ambiente de 2013 está na fase local, quando as escolas organizam as conferências internas para eleger os projetos e escolher os alunos representantes da instituição para a Confêrencia Estadual.

A temática deste ano é: “vamos cuidar do Brasil com escolas sustentáveis”. Os objetivos geradores do ciclo de conferência estão profundamente ligados a implantação de práticas sustentáveis no espaço escolar, buscando alinhar o rol de informações teóricas com atividades concretas.

Em termos gerais a conferência é um chamado gerador para a comunidade escolar efetivamente pensar que os seres humanos são parte de uma teia universal, onde cada um de nós temos responsabilidades pelo que acontece com o todo. A depender da forma como agirmos, relacionarmo-nos com nós mesmos, com os outros, com o meio ambiente; interferimos nessa teia.

Locução: Eduardo Henrique de Freitas - Colégio Carmelo
Edição: Ecoeducar / Gira Mundo

Dom, 04 de Agosto de 2013 14:40

AGRICULTURA NA LUA

E os humanos, o que fazem?

A humanidade está evoluindo, a cada descoberta, a cada nova invenção.

Há milhares de brasileiros impedidos de ter acesso à terra, onde poderiam estar plantando a comida que está fazendo falta ao mundo.

Mas já existe um projeto de plantações sustentáveis na Lua.

O cientista Bernard Foing, da Ucrânia, está propondo uma agricultura lunar em paralelo a uma base humana no satélite natural da Terra.

O cientista quer desenvolver vida na Lua, que permitiria o fornecimento de comida aos cosmonautas em bases sustentáveis, permitindo saber como será a agricultura fora da Terra.

Segundo o cientista, membro do Centro Europeu de Pesquisa e Tecnologia Espaciais, existe a possibilidade de plantas crescerem na Lua utilizando certos tipos de bactérias que extrairiam do solo lunar os nutrientes para permitir a vida.

Essas bactérias, além de permitir a germinação e floração das plantas, servem para protegê-la de substâncias daninhas e evitar seu envenenamento.

Essa idéia de plantar na Lua, onde todas as condições são desfavoráveis, comprova que podemos também criar condições para que mais pessoas possam ter terra e produzir aqui mesmo, no Planeta Água, que tem tudo: água e gente.

É por exemplos como este que o ser humano tem jeito, sim!

Texto: Alceu Sperança
Locução: Profª. Adelir - Colégio Carmelo
Edição: Ecoeducar / Gira Mundo

E os humanos, o que fazem?

A humanidade está evoluindo, a cada descoberta, a cada nova invenção.

O cientista norte-americano Dean Kamen ficou famoso, ainda bem jovem, por ter inventado um patinete motorizado, com duas grandes rodas, chamado Segway.

Depois, inventou o IBOT, feito para facilitar a locomoção de deficientes físicos.

Seria difícil descrever todas as invenções de Kamen em um pequeno comentário.

Mas pode-se resumir a inventividade de Kamen numa frase: ele busca, sempre, socorrer as necessidades humanas.

Hoje, aos 57 anos, esse extraordinário cientista já possui quase 500 invenções registradas.

Rico e famoso, Kamen poderia viver tranquilamente apenas com os lucros proporcionados por suas muitas invenções.

Mas há alguns meses ele viu um grupo de militares que retornavam das guerras cruéis promovidas pelo governo de seu país.

Eram homens tristes, mutilados, com um ou os dois braços perdidos.

Naquele momento ele resolveu criar uma nova invenção: uma espécie de robô-roupa.

Um robô que pode ser vestido no corpo, tendo como adicionais de fábrica um ou dois braços mecânicos.

Neste momento, o cientista humanitário está de mangas arregaçadas para aprimorar seu protótipo de roupa-robô.

O equipamento vai servir não apenas aos soldados mutilados mas também a pessoas em geral com deficiências nos membros superiores.

É por exemplos como este que o ser humano tem jeito, sim!

Texto: Alceu Sperança
Locução: Prof. Clineu e Profª. Cidinha - Colégio Carmelo
Edição: Ecoeducar / Gira Mundo

Dom, 04 de Agosto de 2013 14:37

RIQUEZA QUE VEM DA CASCA DOS OVOS

E os humanos, o que fazem?

A humanidade está evoluindo, a cada descoberta, a cada nova invenção.

Se alguém comeu uma omelete no almoço de hoje, fez o quê com as cascas dos ovos?

Se as jogou fora, também jogou dinheiro fora.

As cascas de ovos sempre foram consideradas plenamente descartáveis depois de compor bolos, doces diversos, farofas e omeletes.

O Brasil produz 20 bilhões de cascas de ovos por ano.

Sempre se soube que as cascas de ovos tinham qualidades importantes.

Trituradas, por exemplo, fornecem cálcio para combater a osteoporose.

O artesanato as utiliza em diversas aplicações.

Até cimento é possível fazer com elas, em combinação com outros produtos.

Fora disso, as cascas continuavam a ser implacavelmente destinadas ao lixo.

Mas nessas desprezíveis embalagens naturais se escondia uma atraente mina de ouro à espera de alguém capaz de extrair seu segredo.

Esse alguém foi o jovem cientista chinês Liang-Shih.

Ele descobriu que a casca é recoberta por dentro com uma membrana rica em colágeno, um material que, quando purificado, chega a custar mil dólares o grama.

Cerca de 10% da membrana é constituída de colágeno, que pode ser utilizado tanto pela própria indústria de alimentos quanto para tratamentos médicos, para recuperação de pessoas que sofreram queimaduras graves ou em cirurgias cosméticas.

O incrível da genialidade humana e da juventude estudiosa que temos em todo o mundo é sua capacidade de tirar daquilo que todos julgávamos inútil mais uma fonte de riquezas.

O destino da humanidade, portanto, só pode ser a riqueza e a felicidade.

É por exemplos como este que o ser humano tem jeito, sim!

Texto: Alceu Sperança
Locução: Profª. Valesca Fôlha de Souza - Colégio Carmelo
Edição: Ecoeducar / Gira Mundo


Os alunos do Colégio Estadual Padre Carmelo Perrone de Cascavel, em específico um grupo de voluntários e alunos do 3º ano do curso técnico em Informática estão produzindo uma série de documentários sobre o Cultivando Água Boa. Os mesmos serão apresentados em múltiplos meios midiáticos, como vídeos, reportagem em texto para web, coletânea de fotografias e produções para web rádio. Precisamente sobre esta última modalidade que foram intensificadas as ações de formação no período do 2º bimestre.

O desafio mostrou-se grande por conta de os alunos nunca terem usado estes recursos metodológicos e tecnológicos, no entanto, depois de muito trabalho e alguns debates acalorados (discussão), os resultados começam a aparecer em especial os documentários.

Cada um com suas especificidades, mas todos dentro de certo padrão organizacional, o qual foi possível por conta de instrumentos criados pelo professor para favorecer na hora de produzir os roteiros e editar os áudios.

Para ajudar neste processo, os mais de 250 alunos tiveram acesso a um modelo de produção de roteiro, criado para atender a pesquisa do PDE do professor, o qual permite com muita facilidade e rapidez a produção da parte escrita.

Já a gravação foi feita no estúdio de rádio do colégio, com a colaboração de um grupo de alunos que se especializaram no manuseio dos equipamentos e assim puderam colaborar com os colegas.

Para a edição, o educador em um curso de pós graduação em mídias, criou um manual super simplificado para a edição de áudio, sendo que em 1 hora de treinamento e o uso de apenas 7 comandos os alunos aprendem a edição do arquivo de áudio para o documentário.

Como forma de complementar este trabalho, foram criadas oficinas para repassar as técnicas de edição, sendo que até o momento já fizeram a mesma cerca de 50 alunos.

Neste sentido, para o segundo semestre estão previstas mais 10 oficinas para se chegar aos 300 alunos capacitados para a edição de áudios educacionais. Bem como, na semana de formação dos professores, o professor e um grupo de alunos irão repassar a oficina para todos os professores e funcionários do Colégio




Ter, 09 de Julho de 2013 19:53

A ARCA DA ESPERANÇA

E os humanos, o que fazem?

A humanidade está evoluindo, a cada descoberta, a cada nova invenção.

O que você faria se um velhinho de barbas brancas dissesse que se chama Noé e convidasse você a fazer uma arca para proteger os animais de uma destruição futura? 

Pois um novo Noé apareceu, com a diferença de que não é um velhinho de barbas brancas, mas um governo competente.

Esse governo é a administração da Noruega, um país da Escandinávia européia, que inaugurou em seu arquipélago, no Ártico, uma “Arca de Noé” do reino vegetal.

Essa Arca de Noé tem por finalidade presirvar a diversidade vegetal do planeta, ameaçada por catástrofes naturais, guerras e alterações climáticas.

É uma espécie de cofre escavado na rocha gelada, relativamente perto do Pólo Norte.

Esse cofre da natureza vai guardar sementes congeladas que poderão sobreviver por até 200 anos, mesmo no pior cenário de alterações climáticas e se os sistemas mecânicos de refrigeração falharem.

Se uma variedade desaparecer – digamos o arroz – a espécie poderá ser recuperada sacando as sementes desse cofre e fazendo-as produzir.

A Arca de Noé da Noruega custou de seis milhões de euros.

Quase nada, se pensarmos que uma parte importante da vida do planeta está sendo resguardada para o futuro do mundo e para nossos netos e bisnetos.

É por exemplos como este que o ser humano tem jeito, sim!


Texto: Alceu Sperança
Locução: Helouise Mazzo - 7º Ano - Col. Est. Pe. Carmelo Perrone
Edição: Ecoeducar / Gira Mundo

Qui, 20 de Junho de 2013 10:36

O RESPEITO ÀS DIFERENÇA NOS COMPLETA

O RESPEITO ÀS DIFERENÇA NOS COMPLETA


Respeitar pai e mãe é mandamento que consta de qualquer ensinamento, não importa a religião ou a descrença da pessoa.

Um casal humano é a mais perfeita escola que existe quando os pais respeitam os filhos e os filhos respeitam os pais.

Na ordem do universo, nada está separado. Tudo depende de tudo, todos dependem de todos.

Até recentemente se acreditava que a Via Láctea – a galáxia onde está a Terra e, portanto, onde nós vivemos – era um corpo só.

Uma espécie de enorme vagabundo cósmico solitário, isolado e sem depender de mais nada.

Mas os cientistas acabam de descobrir que a Via Láctea na verdade não é um corpo isolado a se manifestar através de um único halo, que é uma nuvem de estrelas.

São realmente dois halos, que estão lado a lado, um mais externamente, outro mais internamente, na galáxia em que vivemos.

São diferentes, como o homem e a mulher são diferentes, mas vivem um grande casamento, em que a ordem é garantida pela natureza.

Os dois halos que fazem a Via Láctea e convivem naturalmente mostram a todos nós que a harmonia de um casal faz bem ao ambiente universal.

Cuide bem de sua companheira, homem.

Cuide bem de seu companheiro, mulher.

E assim também estarão assegurando o amor e o respeito de seus filhos e continuando a formar a melhor escola e o melhor ambiente que existe: o lar. 

Texto: Alceu Sperança
Locução: Barbara de Lima Capelli
Edição: Ecoeducar - Barbara de Lima Capelli

Qui, 20 de Junho de 2013 10:28

OS HOMENS E OS BICHOS

OS HOMENS E OS BICHOS

Com o avanço das cidades, os animais selvagens desapareceram da vista de todos.

Só os encontramos em zoológicos, nas enciclopédias, na Internet.

Mas os bichos mais parecidos com os homens continuam insistindo em ocupar os espaços da cidade.

Os ratos, por exemplo. Eles encarnam características humanas como falta de respeito pelos outros seres vivos e roubar quando o outro se descuida.

Quando se aglomeram em demasia, como as torcidas de futebol, tornam-se agressivos e violentos, inclusive uns contra os outros.

Os gambás cheiram mal, como cheiram mal os negócios dos especuladores e aproveitadores em geral.

As baratas são malandras, espertas, e querem sempre tirar vantagem, como aqueles comerciantes que roubam no preço e no peso.

Os mosquitos sugadores de sangue parecem aqueles patrões que arrancam o couro dos empregados, acreditando que são donos da vida deles.

Mas também temos as aves. Como os melhores seres humanos, elas querem sempre voar, mais e mais, para cumprir seu destino de viver.

Podemos escolher o que desejamos ser, nessa fauna urbana: o rato que rouba, o gambá que fede, o mosquito que suga sangue ou as aves que pelo céu nos mostram que é bom voar, sonhar, tendo a nossa utopia de construir um mundo melhor.

Texto: Alceu Sperança
Locução: Ana Flávia da Silva
Edição: Ecoeducar - Ana Flávia da Silva

Ter, 11 de Junho de 2013 16:23

MORCEGOS DO BEM

MORCEGOS DO BEM


No cinema, os morcegos geralmente aparecem como figuras horríveis, ameaçadoras – principalmente na forma de vampiros.

Representam a escuridão e o mal.

Com exceção de Batman, o Homem-Morcego, é raro o morcego aparecer simbolizando o bem ou a Justiça.

Mas a natureza tem sido mais generosa com os morcegos do que o cinema.

Um experimento da Embrapa está contando com a colaboração dos morcegos para espalhar sementes e frutos de plantas utilizadas na recuperação de áreas degradadas.

São três espécies de morcegos que participam do projeto, realizado em Colombo, aqui no Paraná.

Os morcegos são atraídos por óleos essenciais para se alimentar de frutos contendo sementes importantes para a reposição das florestas.

O resto fica com a natureza: ao soltar as sementes em pleno vôo, os morcegos vão semeando a recuperação florestal.

As revoadas dos morcegos paranaenses sobre as florestas vai despejando uma chuva de sementes que no futuro representarão a recuperação de áreas degradadas pelo uso intensivo para a exploração econômica.

Isso quer dizer que aquilo que os homens vampirizaram, os morcegos estão recuperando. 

Texto: Alceu Sperança
Locução: Lucas Detoni
Edição: Ecoeducar - Gira Mundo

<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 Próximo > Fim >>
Página 1 de 8

Redes Sociais

  • Facebook: webradioagua
  • Linked In: webradioagua
  • Orkut: 15823632741848208134
  • Twitter: webradioagua
  • YouTube: webradioagua

Centro Internacional de Hidroinformática | Parque Tecnológico Itaipu
Av. Presidente Tancredo Neves, 6731 | CEP 85.867-900
Foz do Iguaçu | Paraná | Brasil
+55 45 3576-7038

 

2018 • Todos os Direitos Reservados